quinta-feira, 5 de agosto de 2010

SERVIDORES DE CAUCAIA COBRAM REDUÇÃO DA JORNADA

Um grupo de servidores da Saúde e da Guarda Municipal de Caucaia realizou protesto em frente ao hospital municipal e à prefeitura. Eles cobram redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais. Uma audiência com o prefeito está marcada para hoje

Cerca de 20 servidores municipais de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, realizaram, na manhã de ontem, uma manifestação. Integrantes de sindicatos dos profissionais da Saúde e dos guardas municipais reivindicam jornada de trabalho de 30 horas e melhores condições de trabalho. O ato começou em frente ao Hospital Municipal Doutor Abelardo Gadelha da Rocha e terminou defronte ao gabinete do prefeito, no Centro da cidade.

Segundo a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviço de Saúde do Ceará (Sindsaúde), Célia Santiago, o prefeito Washington Gois publicou, em dezembro de 2009, um novo regime jurídico que determinou o aumento da jornada de trabalho de 30 para 40 horas semanais para todos servidores. No município, são cerca de 200 servidores da saúde. “Queremos a manutenção das 30 horas. Há quase 20 anos era assim, mas o prefeito mudou de forma não correta”, reclama.

Segundo Célia, o prefeito se comprometeu, em reunião no dia 27 de julho, reduzir novamente a carga horária. “Mas ele não atendeu. Voltou atrás no compromisso dele. Estamos mobilizando os trabalhadores. Se não voltarem atrás, vamos parar”, ameaça.

A auxiliar de enfermagem Valdênia Costa de Paula Gurgel participou da manifestação. Servidora do hospital municipal, ela conta que as condições de trabalho na unidade são “precárias”. “Falta alimentação, não recebemos vale-transporte ou vale-refeição. É desumano. Trabalha-se pra comprar alimentação”, cita. Trabalhando 8 horas por dia no hospital e recebendo R$ 700 por mês, Valdênia se diz cansada. “Nós, que trabalhamos com vidas, temos que ter disposição”, lembra.

Guarda Municipal
Um pequeno grupo de guardas municipais também participou do ato. Além da redução da jornada de trabalho, eles reivindicam a aquisição de equipamentos e fardamento. “Os que têm compraram do próprio salário. E recebendo um salário mínimo, fica difícil”, declara o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Fortaleza e Região Metropolitana, Márcio Cruz. Em Caucaia, há 60 guardas. Noventa, aprovados no último concurso, estão sendo chamados.

Durante a manifestação em frente ao gabinete do prefeito, o vice-prefeito Paulo Guerra, conversou com os servidores. Uma audiência para discutir as reivindicações ficou agendada para hoje, às 9 horas, na Prefeitura.
Fonte Jornal O Povo (05.08.10)

Nenhum comentário: