quinta-feira, 27 de maio de 2010

A OBRA DE CONTENÇÃO DO AVANÇO DO MAR DEVE COMEÇAR AMANHÃ (28) NO ICARAÍ

O problema é um velho conhecido dos comerciantes da praia do Icaraí, no município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. Quando a maré está cheia, as ondas vêm e vão levando barracas, pedras, sujeira e tudo mais que encontram na beira do mar. Agora, parece que o tormento está perto do fim. O Ministério Público do Estado do Ceará realizou, dia 28 de abril audiência pública na qual foi apresentado o projeto de construção de um muro para contenção do avanço do mar.
Segundo o promotor de Justiça Ricardo Rocha, na audiência foi estipulado um prazo de 30 dias para início da obra. “Após os 30 dias, se não tiver iniciado, será realizada nova audiência pública para já confeccionar ação judicial para que a Justiça obrigue os responsáveis a resolver o problema”, diz.
Por sua vez, o vice-prefeito, Paulo Guerra, explicou que o sistema conhecido como parede “Bag Wall”, que consiste na construção de degraus que barram o avanço do mar e, com o tempo, vão retendo a areia das ondas e reconstruindo a praia.

OCUPAÇÃO INDEVIDA É PROBLEMA

Segundo o arquiteto e professor do curso de Arquitetura da Universidade Federal do Ceará (UFC), José Sales, a construção do “bag wall” não garante a solução de problema da praia do Icaraí. "O grande problema do litoral cearense é a ocupação indevida e exagerada da costa. Cria-se uma situação artificial que impede o sedimento (areia) de se recompor".
O problema tem duas origens, de acordo com Sales. "Há falta de reposição da areia por conta de obras e ocupação indevida do litoral”, afirma. ``Não se resolveu nenhum dos dois e se pressupõe que simplesmente uma parede de concreto vai resolver. Mas a ocupação indevida continua e a reposição de sedimento vai continuar, porque existem obras em Fortaleza que impedem que areia seja transportada para lá e em Caucaia, que impedem que areia das dunas chegue lá".

"A solução seria acabar com as ocupações indevidas na orla. Isso (avanço do mar) é uma reação natural", diz José Sales. Para ele, o modelo “bag wall” não melhora problema. "É preciso criar soluções particulares. Lá nos Estados Unidos não existe ocupação da faixa de praia. E o tamanho do problema de Maceió não é o de Caucaia. Lá há destruição parcial, aqui a destruição está pegando quase todo o litoral".
Fonte: Jornal O POVO

Nenhum comentário: